quinta-feira, 17 de maio de 2018

MEMÓRIAS DE GARANHUNS: LEONILO FERREIRA DO NASCIMENTO

Leonilo Ferreira do  Nascimento
 "Mestre Nilo"
Por José Francisco de Souza (1978)

Nasceu aqui na terra dos arrebóis e das tardes mornas de verão que deslumbravam os seus olhos.  Os últimos raios do sol iluminavam o seu rosto. Cresceu sob o domínio de uma lar humilde, pobre o honesto. Ainda no limiar da infância começou enfrentar o trabalho árduo. Começou de baixo para cima como se  constrói. Com a colher, o nível e o prumo edificou prédios. Com o tempo a sua atividade tomou nova dimensão.  Consagrou-se como exemplo de trabalho produtivo e honesto. Colaborou com os poderes municipais e foi o braço forte do grande Prefeito Euclides Dourado. Homem de iniciativa própria e de capacidade construtiva. Edificou , casas, sobrados edifícios e palacetes. Criou e modelou praças, amplamente ajardinadas. Era um criador de possibilidades na arte de construir. Por todos os recantos da nossa cidade encontra-se um traço vivo de sua capacidade de criar. 

Lei nº 1521 - "Denomina de Mestre Nilo uma artéria desta cidade"
Homem de ideias sociais foi o pioneiro do sindicalismo em Garanhuns. Delegado Eleitor, quando o Estadista Agamenon Magalhães, era Ministro do Trabalho. Foi por assim dizer amigo daquele grande homem público.  Homem franco, sincero e de atitudes definidas. Casou-se com uma prendada jovem da família Rocha Vilela. Do casal nasceram muitos filhos. Pelo seu esforço e iniciativa própria educou-os condignamente. Todos estudaram no Colégio 15 de Novembro. Hoje  estão moral e intelectualmente bem situados na vida. Médicas, bacharéis, militares, bancários. Não era um homem de cultura intelectual. Muito inteligente  sabia se orientar de  modo condigno. De coragem pessoal várias vezes comprovada. Não fora um despreparado para lutar e vencer nos setores de sua longa vida profissional.

"Mestre Nilo", como era conhecido, soube se impor. Leonilo Ferreira do Nascimento, morreu já depois de muitos anos bem vividos. Era protestante e educou os seus filhos na Religião de Lutero. Amigo leal e servidor. Vivemos e lutamos juntos. Sofremos as mesmas incompreensões do mundo social da época. Para nós ele foi um ente querido, inegavelmente um dos grandes homens da nossa cidade. Da cidade centenária cuja grandeza ele ajudou a construir com as suas próprias mãos honradas. Na sua simplicidade dignificou a sua geração.

Apoio Cultural

Postar um comentário